Avançar para o conteúdo principal

Braga

Braga, que hoje é capital do distrito do mesmo nome, e que foi designada em épocas anteriores com formas grandiloquentes como a "cidade dos Arcebispos", a "Roma portuguesa", a "cidade dos três Sacro-Montes" ou o "coração do Minho", foi também capital de toda a Gallaecia romana após a sua fundação no século I a.C. sob o nome de Bracara Augusta e de todo o Reino Suevo da Galiza após a chegada daquele povo germânico no século V. Mas, de onde procede o seu nome?

1. EVOLUÇÃO BRACARA > BRAGA

Plano da cidade tirado do Civitates Orbis Terrarum
de Georg Braun e Franz Hogenberg (1594)
O nome Braga procede, como é popularmente conhecido, de Bracara (preparoxítona), que é o nome que os romanos dão ao lugar ao fundarem a cidade. A evolução de Bracara para Braga dá-se, em primeiro lugar, já antes do s. IV, com a aproximação dos fonemas /k/ e /g/ que deixam um Bragara com pronúncia gutural. A segunda fase produz-se antes do s. X, na sequência de uma alteração que afecta a vibrante -r-, que se transforma em lateral -l-, resultando Bragala. Já no s. X irá ocorrer a lenição do -l- intervocálico que é normativo para o galego-português, deixando duas vogais contínuas que funcionam como hiato: Bragaa. Estes encontros vocálicos tenderam a desaparecer já desde o século XIV e, em posição postónica resolvem-se simplificando-se sem qualquer outra mudança. De *Braga-a passa-se então a Braga, já, logicamente, oxítona, como a atual. Mas, de onde procede esse Bracara?

2. ORIGENS: TRÊS HIPÓTESES

Os romanos não inventaram o nome da cidade. Beberam, como habitualmente, num gentílico da zona: os bracari, uma tribo céltica que ocupava a franja entre os rios Tâmega e Cávado. E é no vale deste rio que foi fundada a cidade. O nome dos brácaros, pois, é chave para desmascarar o que haja de significado no nome da cidade. Mas a respeito do que bracari signifique, há profundas controvérsias.

A primeira hipótese —a mais popular— é que os bracari tivessem recebido esse nome por levarem calçasbracae. Estaríamos, então, perante um exoetnónimo, isto é, um nome de tribo que se impõe desde fora, não desde a própria tribo, e por oposição a outros clãs ou tribos que não levassem calças, mas outras vestimentas. Aqui interessa notar como os romanos denominavam, em ocasiões, algumas áreas por uma característica visual dos seus habitantes. Aí estão a Gallia comata, isto é, a Galia dos guedelhudos (Gália setentrional) e a Gallia bracata, isto é, a Galia dos que vestiam calças (Gália Narbonense). A relação linguística entre os bracati e os bracari parece poderosa avondo para ser mais do que "possível". Porém, as descrições da área e as imagens que nos chegaram da época obrigam a duvidarmos e sermos céticos, e, pois, a procurarmos outras alternativas.

Uma segunda hipótese tem relacionado a raiz *brag- com o PIE *bhrgh- 'altura', que está na origem das numerosas ocorrências de briga- e -bre que se dão na área galaica, e que coincide com a origem de Bracara na área elevada que hoje ocupa a freguesia da Cividade. Mas, se esse povo brácaro era céltico, como então não chamar a atenção para a inconsistência evolutiva da sua realização em *brag- frente à realização habitual *brig- que se dá em toda o NW peninsular? Será então que estamos perante um *brag- pré-céltico? Ou será que nada tem a ver com o *bhrgh-?

A terceira opção, que encontro mais plausível, é a de que tenha a ver com uma raiz *mbrak-. Se compararmos Braga com outras ocorrências similares como Bragança, Braganha, Barga, Barganha, e outros, encontraremos sufixações em -ant, -an e -ar (como a de Bracara) — que remetem para hidrónimos paleuropeus. Se for assim, esse *mbrak pode proceder, por sua vez, de um *mrāg PIE, com epêntese de -b- mais do que esperável e com significado de 'sedimento, limo'. Essa raiz deu em grego antigo brágos e em germânico *brōk-a; mas nada na rama céltica — o que aponta para uma origem ainda mais antiga. Se for assim, os bracari seriam os povoadores de uma área húmida, limosa, próxima a algum rio, talvez o atual Cávado que passa à beira de Braga.

***

Como quer que fosse, se for certa a primeira hipótese, a tribo que habitasse a zona antes da chegada dos romanos não se denominaria a si própria bracari. Ao contrário, se qualquer uma das outras hipóteses fosse a correta, estaríamos perante um endoetnónimo. Tenho para mim que uma investigação sobre a literatura ligada ao processo de contacto com essa tribo e de posterior fundação da cidade teria algo de interesse a nos dizer desde que lhe aplicássemos a lógica, mas, infelizmente, não sou eu quem possa desenvolver esse trabalho. Chegue, por enquanto, com notar estas três hipóteses sobre a origem do etnónimo que deu nome à cidade outrora capital do reino suevo.








Comentários

  1. Mas no caso de Bragança acho que o étimo é *Brigantia, daí os testemunhos medievais "Bregança", "Bergança" e similares (mas, seja como for, falo de memória, nom fagas muito caso).
    Saúdos!

    ResponderEliminar
  2. Apuntar apenas un detalle: coincidencia ou non, existe un topónimo en Escocia cuxo nome é "Bracara", que podedes consultar mesmo no google maps nunha pesquisa por: "Bracara, Morar, Reino Unido - United Kingdom". Descoñezo a orixe a priori do topónimo mais casualidade ou non está situado nunha area de gran tradición gaélica, no centro do antigo reino gaélico de Dál Riata, fundado xa aló polo século VI.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário